Bairro recebe projeto pioneiro de coletiva seletiva solidária

12311145_574028582747962_1898051280736810307_n

Eu sou uma legenda!

A partir do final de novembro, o bairro Floresta passa a ter coleta seletiva solidária em um projeto pioneiro na área, graças à ideia da Associação dos Moradores do Bairro Floresta – FloLeste. Tudo começou durante a 4ª Conferência Municipal de Meio Ambiente, em 2013, quando o engenheiro Fabiano Álvares, vice-presidente da Associação, sugeriu o projeto. E entre as 80 propostas apresentadas, esta foi o vencedora, por ser em um formato inédito e por representar uma grande importância sócio/ambiental.

O projeto apresentado por Fabiano sugeria que a coleta seletiva deixasse de ser feita de maneira tradicional, com os Levs nas praças ou através de contrato da Prefeitura com empresas que realizam este tipo de trabalho. “Na justificativa do projeto mostramos que os Levs apresentavam problemas na coleta, porque o morador tem que levar os produtos recicláveis até o local, mas que acabava virando um verdadeiro depósito de lixo, porque muita gente levava outros tipos de rejeitos, que muitas vezes eram remexidos e virava aquela mistura de reciclado com orgânico”, explica.

Para aprimorar a coleta seletiva, foi recomendado então pelo engenheiro que o sistema passasse a ser feito em casa por catadores, privilegiando o caráter sócio/ambiental. “Além de ser uma coleta que colabora para a preservação do meio ambiente, ela é solidária, porque se volta para o lado social, sendo uma fonte geradora de emprego e renda, ao admitir o trabalho de catadores, através de uma Cooperativa da área, que irá fazer a coleta porta a porta”, disse Fabiano.

 

COMO SERÁ

Inicialmente, a coleta não vai acontecer em partes do bairro, porque ainda é em caráter piloto, mas vai se estender por toda a Floresta e depois para toda cidade. A SLU já esteve com uma equipe na rua fazendo a divulgação e distribuindo um folheto que explica como vai acontecer a coleta: de porta a porta, toda quinta-feira, entre 7h e 8h. Para participar, as pessoas devem separar o material reciclável em um saco plástico e colocar no passeio. O caminhão da Prefeitura cedido para a Coopsol-Leste irá fazer o recolhimento. Os materiais que devem ser separados são: papel, metal, plástico e vidro.

Na área do comércio, onde há mais material a ser recolhido, a coleta será feita por catadores nos carrinhos e com embalagens da CoopSol-Leste. Todo material será colocado pelo catador em uma área fechada, cedida pelo Colégio Batista, para impedir a violação e acabar virando lixo jogado nas ruas novamente. Quando o local estiver cheio, o caminhão da Prefeitura vai recolher.

coleta

Eu sou uma legenda!

COLABORAÇÃO

Estas sugestões da Associação dos Moradores do Bairro Floresta, atraíram importantes entidades ligadas à área do meio ambiente que vieram somar para a concepção e elaboração final do projeto. São elas: UFMG, Insea (Instituto Nanuca de Desenvolvimento Sustentável), a SLU e a CoopeSol-Leste (Cooperativa Solidária de Trabalhadores e Grupos Produtivos da Região Leste e o Colégio Batista). Também fundamental o apoio do vereador Professor Wendel, que foi sensível à causa, marcou e acompanhou todas as agendas junto aos órgãos públicos municipais para que o projeto realmente se concretizasse e fosse implantado.

Assim, foram dois anos de dedicação e intenso trabalho destas entidades e do vereador e, agora, o projeto se tornou realidade e no dia 13 de novembro, foi assinado o convênio de parceria entre a Prefeitura e a Coopsol-Leste. Muitas autoridades participaram da solenidade, que aconteceu no galpão da Cooperativa, no bairro Granja de Freitas. O Prefeito Márcio Lacerda, o Superintendente da SLU, Custódio Matos e o vereador Professor Wendel elogiaram a iniciativa inédita da Associação dos Moradores do Bairro Floresta – FloLeste e dos demais órgãos que participaram da elaboração final do projeto. “Somente com uma comunidade unida será possível realizar ações que beneficiem o meio ambiente e propiciem qualidade de vida e promovam a igualdade social”, disse o Prefeito.

Um projeto piloto como este pode causar algumas dúvidas no início, mas, aos poucos, certamente, ele vai se ajustando e promovendo muitos benefícios para o bairro. O importante é que o projeto saiu do papel e se tornou realidade. Afinal, a reciclagem é um dos fatores fundamentais para a preservação do meio ambiente, tão maltratado pelo ser humano. Mais informações: ass.floresta@gmail.com.



Artigos relacionados

Praça da Estação é oficializada como ‘Zona Cultural’ de BH e eventos no local tendem a aumentar

Espaço de festas, shows, “praia” e manifestações populares, a Praça da Estação, na divisa da Floresta com o Centro da

O Jornal da Floresta é você quem faz

Esta é a primeira edição do JORNAL DA FLORESTA. Um jornal dinâmico, que vai atingir todas as residências do bairro,

Editorial: “A melhor energia do Brasil”

O período chuvoso chegou e com ele o receio de problemas comuns da estação. Alagamentos, deslizamentos, aumento no número de

Sem comentários

Escreva um comentário
Ainda não há comentários Você pode ser o primeiro a comente este post!

Escreva um comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*